domingo, 13 de agosto de 2017

Caio Bonfim conquista bronze para o Brasil

13|08|2017 - 12:18 | Benê Turco, da Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Atletismo

Londres - O brasiliense Caio Bonfim conquistou neste domingo (dia 13) a medalha de bronze na prova dos 20 km marcha atlética no Campeonato Mundial de Atletismo, em Londres. Foi a primeira medalha brasileira na competição, iniciada no dia 4, no Estádio Olímpico. Ele completou as 10 voltas no circuito de 2 km, montado próximo ao Palácio de Buckingham, em 1:19:04, novo recorde brasileiro.

Num dia de sol, calor de 23 graus e acompanhada por um grande público, a prova foi realizada numa zona de grande movimento turístico da capital britânica. Caio, que já estava muito perto do pódio, entrou determinado. No ano passado terminou em quarto lugar nos Jogos Olímpicos do Rio, quando completou a prova em 1:19:42, o recorde nacional anterior. No Mundial de Pequim 2015, havia ficado em sexto lugar.
Fonte: CBAt

"Foi uma prova muito difícil. Começou com um ritmo muito forte e achei que ninguém iria aguentar. Preferi manter o que tinha treinado, o que deu certo", comentou, muito feliz, com a bandeira brasileira nas costas. "Ainda não caiu a ficha, mas tenho muito a agradecer a minha família, que me dá todo o apoio", disse.

O pai João Sena e a mãe Gianetti Bonfim são seus treinadores e acompanham o atleta, que defende o CASO (DF), em todas as competições. 

Caio Bonfim fez um Camping de Treinamento em altitude, em Sierra Nevada, na Espanha, antes do Mundial, promovido pela Confederação Brasileira de Atletismo, pelo Programa Caixa de Campings Internacionais, e pelo Comitê OIímpico do Brasil (COB), pela Lei Agnelo/Piva, procurando dar as melhores condições de preparação para o marchador.

O colombiano Eider Arévalo conquistou a medalha de ouro, com 1:18:53, novo recorde nacional, seguido do russo Sergei Shirobokov, da equipe independente, com 1:18:55.

Outro grande resultado foi obtido nos 20 km marcha feminino, com a pernambucana Erica Rocha de Sena, que ficou muito perto do pódio. Ela completou o percurso em quarto lugar, com a marca de 1:26:59, novo recorde sul-americano, que era dela mesma, com 1:27:18, estabelecido em 2016, durante o Mundial de Marcha Atlética por Equipes, em Roma. 

Erica esteve sempre no pelotão de frente, desde a largada, manteve um ritmo forte até o km 17, quando recebeu placas de advertência de quatro árbitros. "Fiquei preocupada. Tive o receio de ser desqualificada e diminui o ritmo", comentou a brasileira, atleta da B3 Atletismo, que é orientada pelo marido, o equatoriano Andrés Chocho.

"O objetivo era a medalha, claro, e fiquei muito perto. O outro é melhorar minha marca e consegui. Planejei tudo para chegar na minha melhor forma no Mundial", lembrou a marchadora, que foi a sexta colocada em Pequim 2015 e a sétima no Rio 2016.

A chinesa Jiayu Yang conquistou a medalha de ouro, com 1:26:18, seguida da mexicana Maria Guadalupe González, com 1:26:19, e da italiana Antonella Palmisano, com 1:26:36.

Nos 50 km marcha atlética feminina, que foram disputados pela primeira vez no Campeonato Mundial, a catarinense Nair da Rosa terminou em quinto lugar. O seu tempo não foi registrado porque ela não completou a distância e a prova foi interrompida pelos organizadores.

"A prova foi fantástica. Não consegui desenvolver o ritmo desejado, mas estou feliz por estar entre as pioneiras e disputar a primeira prova dos 50 km em um Mundial", comentou a atleta da AABLU, treinada por Sergio Galdino.

A portuguesa Inês Henriques garantiu o ouro, com 4:05:56, novo recorde mundial. Já as chinesas Hang Yin e Shuqing Yang ficaram com a prata e o bronze, com 4:08:58 (recorde asiático) e 4:20:49, respectivamente.

DISCO - A paraibana Andressa de Moraes terminou em 11º lugar na prova do lançamento do disco, com a marca de 60,00 m, no Estádio Olímpico de Londres. "Tentei dar meu melhor e por isso deixo o Mundial feliz". comentou a brasileira. O ouro foi para a croata Sandra Perkovic, com 70,31 m. A australiana Dani Stevens levou a prata, com 69,64 m, enquanto o bronze ficou com a francesa Mélina Robert-Michon, com 66,21 m.

O Brasil participa do Campeonato Mundial de Atletismo em Londres com Recursos do Programa Caixa de Seleções, da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), patrocinada pela Caixa Econômica Federal.

sábado, 12 de agosto de 2017

Termina neste domingo o Mundial de Atletismo em Londres

12|08|2017 - 12:07 | Benê Turco, da Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Atletismo

Londres - Com a participação de cerca de dois mil atletas de mais de 200 nações, termina neste domingo (dia 13), o Mundial de Atletismo, em Londres. Na capital britânica, as provas da 16ª edição do Campeonato são disputadas no Estádio Olímpico, palco dos Jogos de 2012.

Nesta última rodada da principal competição do esporte internacional na temporada, sete provas, todas finais, serão realizadas à noite, no Estádio Olímpico. Antes, acontecerão as provas de marcha atlética, em circuito de rua, em Marborough, com chegada próxima ao Palácio de Buckingham.

O Brasil estará presente no estádio, com Andressa de Morais, no lançamento do disco, a partir das 15:10, hora de Brasília (19:10, hora local). Andressa este ano estabeleceu novo recorde sul-americano com 64,68 m, ao vencer o Sul-Americano no Paraguai. Atleta do Pinheiros, treinada pelo cubano Julián Mejias, Andressa obteve lugar na final ao marcar 62,80 m na qualificação.
Fonte: CBAt

"Estou bem e com esperanças de fazer o meu melhor resultado na final", disse a atleta, no saguão do Grange City Hotel, perto da Torre de Londres, onde a delegação do Brasil e de outros países estão hospedadas.

Também terá representantes do Brasil em três das quatro provas de marcha atlética (com exceção dos 50 km masculino): 50 km feminino, com Nair da Rosa, às 03:45 (07:45) 20 km feminino, com Erica Rocha de Sena, a partir das 08:20 (12:20) e nos 20 km masculino, com Caio Bonfim, às 10:20 (14:20).

Caio Bonfim e Erica Sena têm colecionado bons resultados nos últimos anos. Erica - atleta da B3 Atletismo, treinada por seu marido, o equatoriano Andrés Chocho - foi prata no PAN de Toronto 2015, sexta no Mundial de Pequim no mesmo ano, e sétima na Olimpíada do Rio 2016. "Fiz uma boa preparação e estou pronta para competir", disse a atleta no restaurante do hotel, pouco antes de almoçar.

Caio, que compete pelo CASO e treina com seus pais, João Sena e Gianetti Bonfim, foi bronze em Toronto, sexto em Pequim e quarto no Rio 2016. "O Caio está bem e irá tranquilo para a prova", falou Gianetti, que companha o atleta, na capital britânica.

Finalmente, Nair da Rosa treina com o antigo marchador Sergio Galdino, em Blumenau, onde vive, e compete pela AABLU. Aos 37 anos, casada e com três filhos, Nair está orgulhosa de viver um momento único no Atletismo, já que as mulheres disputam, pela primeira vez, os 50 km. Assim, também pela primeira vez na história do Mundial, iniciada em Helsinque 1983, homens e mulheres disputarão igualmente todas as provas do programa: 24 para cada gênero.

"Sei que é um momento importante e quero marcar presença aqui", disse Nair. "Sempre quis fazer os 50 km, quando nem se cogitava ter a distância no Mundial", prosseguiu a atleta que está há quatro anos na modalidade. "Antes eu fazia corrida de rua, cheguei a fazer maratonas, mas gosto mesmo é de marcha", afirmou Nair, que este ano bateu seu próprio recorde, com 4:39:28 em Lima, no Peru, ao vencer o PAN de marcha.

O Brasil participa do Campeonato Mundial de Atletismo em Londres com recursos do Programa Caixa de Seleções, da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), patrocinada pela Caixa Econômica Federal.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Conheça um pouco mais do Atletismo Esperança de Campo Mourão


O Atletismo de Campo Mourão é referência no Brasil em termos de resultados e também na revelação de atletas.
Preocupado em conquistar novas parcerias, o Instituto de Atletismo de Campo Mourão produziu um vídeo para que mais pessoas conheçam o tamanho das façanhas dos nossos atletas. Veja o vídeo e venha ser um parceiro do Atletismo Esperança.


domingo, 6 de agosto de 2017

Rosangela Santos quebra recorde sul-americano e vai à final

06|08|2017 - 15:45 | Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Atletismo

Londres - A brasileira Rosangela Santos quebrou neste domingo (dia 6) os recordes brasileiro e sul-americano dos 100 m ao completar a série 2 das semifinais do Campeonato Mundial de Atletismo, no Estádio Olímpico de Londres, em 10.91 (-0.2). Ela tornou-se assim a primeira brasileira a qualificar-se na história para a final dos 100 m no torneio.

Rosangela, nascida a 20 de dezembro de 1990, em Washington DC, nos Estados Unidos, mas criada desde bebê no Rio de Janeiro, é a primeira brasileira a completar a prova em menos de 11 segundos. O recorde nacional anterior era de Ana Claudia Lemos, com 11.01 (1.4), desde 2015. Já o recorde sul-americano era da equatoriana Angela Tenorio, com 10.99 (0.9), desde o PAN de Toronto 2015.
Fonte: CBAt

A atleta do Pinheiros, que mora e treina no Texas (USA), passou para a final, que será disputada ainda neste domingo, às 17:50, com o terceiro melhor tempo. A mais rápida foi a jamaicana Elaine Thompson, com 10.84 (-0.2), seguida de Marie-Josée Ta Lou, da Costa do Marfim, com 10.87 (0.8).

O presidente da Confederação Brasileira de Atletismo, José Antonio Martins Fernandes, mandou seus cumprimentos pelo desempenho da atleta. O vice-presidente da CBAt, Warlindo Carneiro da Silva Filho, também fez questão de parabenizar a velocista.

O Brasil disputa o Campeonato Mundial com recursos do Programa Caixa de Seleções Nacionais da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), patrocinada pela Caixa Econômica Federal.

Eder Souza e Marcio Teles estão na fase semifinal no Mundial de Atletismo

06|08|2017 - 11:44 | Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Atletismo

Londres - Marcio Teles conseguiu um bom resultado na primeira fase da disputa dos 400 m com barreiras, neste domingo (dia 6), no Mundial de Atletismo, em Londres. O Campeonato está sendo disputado no Estádio Olímpico, palco dos Jogos de 2012.

Marcio ficou em segundo lugar na série 5 com 49.41 e fez o sexto melhor tempo entre todos os participantes. "A meta era garantir a classificação, tinha que ficar entre os quatro primeiros, para não depender do tempo", disse o barreirista, que disputará a série 3 da fase semifinal, nesta segunda-feira (7), às 14:46, hora de Brasília (18:46, hora local). Marcio compete pela B3 Atletismo e treina com Evandro Lazari. Hederson Estefani - atleta do Pinheiros, treinado por Sanderlei Parrela - também disputou a preliminar: foi o quinto na série 1 com 50.22 e não passou à semifinal.
Fonte: CBAt

Também Eder Souza foi bem em sua prova, os 110 m com barreiras. Atleta da Orcampi Unimed, treinado por Victor Fernandes, ele foi o quarto na série 3 com 13.56 (0.1). Ele volta à pista ainda neste domingo, para a disputa da semifinal, a partir das 16:10 (20:10). Ainda competiu pela manhã Altobeli Santos da Silva, do Pinheiros, treinado por Clodoaldo Lopes do Carmo. O corredor teve dor de dente nos últimos dias, e mesmo assim ficou na sexta posição da série 3, com 8:31.82. "A vontade era grande, mas não deu", falou o fundista.

No heptatlo, faltando a prova dos 800 m, que será disputada esta noite, Tamara Alexandrino é a 23ª com 4.308 pontos, e Vanessa Chefer é a 29ª, com 3.846. Ambas competem pelo Pinheiros. Tamara treina com Liliana Lohmann, e Vanessa, com Ricardo Barros.

Nesta segunda-feira teremos ainda a estreia de Aldemir Gomes da Silva Junior, que defende o Vasco da Gama e treina com Vania Silva. Este ano Aldemir correu os 200 m em 20.15 (recorde pessoal). "Estou bem e vou tentar avançar no Campeonato", disse o velocista, que correrá a série 3, às 14:46 (18:46).

Às 14:35 será a vez de Mateus Daniel de Sá fazer a qualificação do salto triplo. Ele está no Grupo A e sua prova começa às 14:35 (18:35). Atleta do Pinheiros, ele treina com Tania Moura.

O Brasil disputa o Campeonato Mundial com recursos do Programa Caixa de Seleções Nacionais da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), patrocinada pela Caixa Econômica Federal.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Brasileiro Caixa Sub-16 será em Fortaleza

04|08|2017 - 11:28 | Assessoria de Imprensa da Confederação Brasileira de Atletismo

São Paulo - A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) confirmou, por meio da Nota Oficial Nº 94/2017, a realização do Campeonato Brasileiro Caixa Sub-16 para o período de 29 de setembro a 1º de outubro deste ano, em Fortaleza, no Ceará. A competição faz parte de um convênio assinado entre a CBAt, Comitê Brasileiro de Clubes (CBC) e algumas agremiações nacionais.

O objetivo é firmar parcerias para a realização dos Campeonatos nacionais das categorias iniciais, ou seja: sub-16, sub-18, sub-20 e sub-23, visando o ciclo olímpico que tem Tóquio 2020, como ápice.

No ano passado, na Arena Caixa, em São Bernardo do Campo (SP), o Centro Olímpico, de São Paulo, venceu o Brasileiro Caixa Sub-16, com a participação de centenas de atletas de todas as regiões do País. Foi o quarto título da equipe paulistana, em sete edições da competição. No total, o time tetracampeão somou 152 pontos na classificação geral: 53 pontos no masculino e 99 no feminino (1º lugar entre as mulheres). 

A equipe vice-campeã foi a PM Colombo, do Paraná, com 87 pontos, todos conquistados no masculino (foi campeã entre os homens). O terceiro lugar geral foi o SESI de São Paulo, com 83 pontos (58 no masculino e 25 no feminino). 
Fonte: CBAt
O destaque individual, no masculino, foi Vitor Gabriel Motin (PM Colombo), ganhador do lançamento do disco (com recorde nacional de 69,86 m) e do arremesso do peso. No feminino, a eleita foi Ana Caroline dos Santos Lopes, da FAE, de Jaboticabal (SP), igualmente vencedora do peso e do disco, quebrando três vezes o recorde brasileiro nesta segunda prova, chegando a 48,64 m.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Atletismo: Técnico Paulinho faz balanço da participação nos Jogos Escolares A

O técnico Paulo César Costa realizou uma avaliação da participação mourãoense nos Jogos Escolares do Paraná, divisão A, que aconteceu na cidade de Apucarana.
De acordo com Paulinho, a participação pode ser considerada boa, ainda mais se for levado em conta as dificuldades enfrentadas pelo projeto de atletismo em 2017: “Ainda foi bom. Nós tivemos três medalhas, terceira colocação geral feminino com o Colégio Osvaldo Cruz. Se esperava mais, só que em função do que aconteceu durante ano podemos dizer que foi muito positivo” disse o treinador.
“Fico muito contente pelos colégios Osvaldo Cruz, Estadual e Vinicius de Moraes que tiveram estudantes participando” completou.
Para 2018, Paulinho espera poder montar uma equipe ainda mais forte para a disputa, já que a fase final será em Campo Mourão.
http://blogdoraoni.com.br

Seguidores